Descubra 8 negócios lucrativos para já pensar em 2020

Descubra 8 negócios lucrativos para já pensar em 2020

Sabemos que a situação em 2019 não foi fácil para os empreendedores, mas há motivos para renovar as expectativas: inflação sob controle, queda histórica dos juros e avanço das reformas.

Então, essa é a hora de projetar ideias lucrativas para 2020 e aproveitar o primeiro impulso de recuperação da economia.

A seguir, veja oito negócios lucrativos que fizeram sucesso em 2020 e que apresentam perspectiva de crescimento para o próximo ano:

1. Alimentação saudável e gourmet

Duas tendências merecem destaque no mercado de alimentação brasileiro: os alimentos saudáveis e gourmet.

De acordo com o relatório Brasil Food Trends 2020, a sensorialidade e prazer ainda é um dos principais critérios de consumo no país (priorizado por 23% da população, na mesma medida da qualidade do produto).

Logo, uma das tendências para o próximo ano é inovar com alimentos de maior valor agregado — os famosos “gourmetizados”. 

Nesse caso, vale a versão premium de alimentos tradicionais, como na febre das hamburguerias gourmet, ou a criação de novas categorias de produtos super-premium. 

Em segundo lugar, vem a tendência da saudabilidade e bem-estar, que contempla os alimentos orgânicos, diet/light e recentes versões sem glúten e lactose. 

Segundo dados da Euromonitor, publicados no Estadão, o setor de alimentos e bebidas saudáveis cresceu 12,3% ao ano nos últimos cinco anos, e a previsão é que feche 2019 com crescimento de 50% (R$ 110 milhões). 

O fato é que esse tipo de negócio encontra espaço porque há pessoas interessadas em manter uma alimentação de qualidade.

A tendência é que, com a melhora da economia, esses produtos sejam ainda mais procurados. Lojas de produtos naturais e marcas de alimentos saudáveis, portanto, tendem a conquistar bons resultados.

Por que vale o investimento: os números da Brasil Food Trends e Euromonitor mostram que há excelentes perspectivas de negócios, principalmente nas tendências de sensorialidade e saudabilidade.

2. Clubes de assinatura

Os clubes de assinatura continuam a todo vapor e expandindo cada vez mais seus segmentos — de livros até produtos eróticos.

Segundo a Associação Brasileira dos Clubes de Assinatura, em 2017, já havia 350 empresas no país. Todo mês, esses clubes enviam aos assinantes produtos do segmento em que atuam: itens para pets, alimentos saudáveis, cervejas, vinhos, queijos e roupas são alguns deles.

Segundo dados da Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABCom), publicados em 2019 no Estado de Minas, o número de empreendimentos desse tipo aumentou 167% nos últimos quatro anos. 

Na análise de Lidiane Oliveira, especialista em clubes de assinatura da plataforma Vindi, os brasileiros estão sentindo mais seguros com esse modelo de negócio e a adesão deve aumentar. 

Em entrevista ao Estado de Minas, ela ressalta o faturamento de 2018: cerca de R$ 1 bilhão, somando 800 clubes de assinatura ativos.

Por que vale o investimento: o mercado dos clubes de assinatura não para de crescer, e a vantagem é que o empreendedor tem uma variedade de públicos segmentados nos quais pode apostar.

3. Mercado pet

Em 2018, o Brasil avançou da quarta posição para o segundo lugar no ranking dos maiores mercados pet do mundo. O setor deve fechar 2019 com faturamento de R$ 36,2 bilhões, de acordo com dados do Instituto Pet Brasil publicados na Época Negócios.

4. Construtechs

Depois das fintechs, é a vez das construtechs se destacarem no mercado de startups brasileiro. Isso porque, com a retomada do setor, os investimentos em tecnologia são urgentes para impulsionar os empreendimentos.

5. Cloud Computing e Inteligência artificial

O mercado de TI brasileiro cresceu acima da média global em 2018: 9,8%, superando os 6,7% globais e ultrapassando a expectativa de 4,1%, segundo dados da ABES ((Associação Brasileira de Empresas de Software) publicados na Computer World.

6. Economia compartilhada

Grandes empresas como Uber e Airbnb evidenciam que modelos de negócio baseados na economia compartilhada podem ser lucrativos. Por meio do compartilhamento de bens e serviços e, geralmente, da internet, essas empresas possuem uma estrutura diferente e apostam na conexão peer-to-peer para impulsionar negócios.

7. Beleza e cosméticos

Mesmo em períodos de crise, o segmento da beleza tende a alcançar bons resultados, pois os consumidores enxergam alto valor agregado nesses produtos. Por isso, em 2020, essa continuará sendo uma boa opção de negócio.

De acordo com dados da Associação Brasileira da Indústria de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos (ABIHPEC), publicados no Senac, a previsão de crescimento do setor de estética e cosméticos é de 14% para 2020.

Entre 2013 e 2018, o setor quintuplicou sua receita: cresceu 567%, fechando 2018 com um montante de R$ 47,5 bilhões. 

Em relação às tendências de produtos, os especialistas da empresa Beauty Streams apontam algumas novidades que prometem fazer sucesso em 2020, em contribuição à Folha:

- Serúns líquidos e anti-idade, que deixa o rosto mais natural
- Produtos livres de pigmentos sintéticos 
- Ingredientes naturais oriundos de vegetais
- Cuidados prebióticos em loções, sabonetes e esfoliantes
- Fórmulas veganas (livres de ingredientes de origem animal e não testadas em animais) para cabelos e pele
- Skincare eletrônico (massageadores faciais).

Por que vale o investimento: o setor da beleza é um dos mais resistentes à crise e vem dando sinais de recuperação rápida, além de ter inúmeros nichos e possibilidades a serem explorados pelos empreendedores.

8. Coaching

O coaching se popularizou no Brasil nos últimos anos, porque cada vez mais pessoas buscam desenvolver competências e aprimorar a forma com que lidam com os desafios do dia a dia. Seja na área pessoal, seja na profissional, o coaching é uma ferramenta de capacitação que desperta o potencial de cada um. 

Por isso, montar seu próprio negócio, abrindo uma microempresa de coaching, pode ser uma boa alternativa para 2020.

E aí, já tem algum insight a respeito do seu futuro empreendimento? É hora de arregaçar as mangas e tirar as ideias do papel para lucrar em 2020 com o seu próprio negócio.

Você também pode gostar de ver